Wednesday, February 01, 2017



O ano de 2016, ficou marcado por algumas saídas de campo (abertas ao público), com uma adesão enorme (chegando ao limite de inscrições em todas as saídas) e pelo grande número de novas localidades a adicionar à distribuição que é correntemente conhecida para várias espécies de pirilampos.
Algumas espécies que apresentam uma distribuição restrita, viram também a sua área de ocorrência (conhecida) aumentada. E existem exemplares de escaravelhos luminosos, que ainda estão por identificar. 
Não se registou uma variação drástica no numero de pirilampos avistados em 2016, em relação ao ano anterior (2015). Alguns locais registaram grandes aglomerações de pirilampos (mais do que o normal), enquanto outros, registaram um pequeno decréscimo. Os cogumelos luminosos, também receberam novas referências, assim como o leque de espécies luminosas conhecidas no nosso país, se tornou mais amplo. O mesmo se passou para as centopeias luminosas (mais um género descrito como bioluminescente (no nosso país) e mais uma localidade a juntar às anteriores).
Também ainda vão aparecendo descrições de bioluminescência marinha.
Apesar de ser pleno inverno, foram ainda assim conseguidos, dezenas de registos, para o primeiro mês do ano de 2017...
Resta saber o que nos reservam os restantes meses deste ano...
 Continuo sempre à espera de novos relatos, por isso continuem a enviar avistamentos ou o que quiserem partilhar sobre o tema, já sabem, podem deixar as vossas observação na secção dos comentários ou então podem enviar mensagens diretamente para o meu email: livinglightfestival@gmail.com 
 Um grande obrigado a todos, que colaboraram e colaboram com esta investigação e iniciativa! 


                                          Macho e fêmea de Lamprohiza paulinoi (Miranda do Douro)


        http://umdiadecampo.blogspot.pt/2016/05/caga-lume-vaga-lume-ou-pirilampo.html#comment-form
                                   


21 comments:

Fernando Martim said...



Obrigado pelo balanço sobre o ano que findou!

Este ano pode contar comigo.

Eu e a minha esposa, gostariamos de ir a uma das saídas deste ano...

Sabe-me dizer quando se vão realizar e onde?

Alexandre P. said...


Na terra dos meus pais, lembro-me que era comum passear durante as noites de verão, e trazer às vezes pirilampos para casa (de preferência dentro de um frasco de vidro)...
Aquilo era bem giro e mantinha a malta bem disposta... Na noite seguinte, lá iamos largar os bichos para o campo...
Entretanto os tempos mudaram e deixei de fazer essas caminhadas, pois também mudei-me e sempre que lá vou, fico só uns dias e tenho sempre muitos assuntos para resolver. A ver se quebro isso e este ano, vou dar uns passeios por lá, quando lá for.
Se por acaso houver caminhadas organizadas na zona de Braga, é só dizerem-me e pode ser que até dê para comparecer... Assim levava também a criançada comigo. eheheh

Rita Fernandes said...



Adorei o resumo! :-)

E espero enviar-lhe muitas observações!!

Pleia Des said...



Também gostei e a ver se colaboro mais, do que no ano passado!

lightalive said...




Fernando, ainda não sei, mas assim que saiba digo-lhe alguma coisa.


Combinado, Alexandre!


Obrigado pela vossa colaboração, Rita e Pleia Des!

Tânia Cardoso said...

Boa tarde a todos


Boas notícias então.

2016 foi um ano muito interessante. pelo que parece!!!

Também gostaria de saber quando vão ser as próximas saídas (assim que souber, diga-me).

Este ano espero enviar-lhe ainda mais relatos.

Fernando Martim said...



Ok, ficarei a aguardar, obrigado!

lightalive said...



Fica combinado, Tânia!

E obrigado por tudo.

M. Resende said...



Muito interessante o que nos conta sobre 2016!

Eu por acaso, há 2 dias, no meu jardim, vi luzes no chão. Algumas tinham um tamanho grande (uns 7 cms de comprimento). Aquilo tinha uma luz verde que parecia espalhada no chão como se fosse um colorante ou algo assim.
Com a luz do meu telemóvel tentei ver o que era, e apenas vi uma minhoca junto a uma delas.
Será que será uma dessas espécies que fazem luz?

lightalive said...


Obrigado pelo relato, M. Resende.

É possível que sim, pois algumas espécies, libertam un fluído luminoso.

Mas se entretanto conseguires uma fotografia, isso ajudaria muito.

Tânia Cardoso said...



Ainda há uns tempos vi minhocas luminosas (e lembro-me de lhe ter enviado os relatos)...

Reparei que deixavam um liquido luminoso no chão. Ao início fiquei algo pasmada, pois nem queria acreditar no que estava a ver. ehehe

Fernando Martim said...



Aqui pela zona, nunca vi tal coisa...

Tânia Cardoso said...



Eu também nunca tinha visto antes nenhuma... Foi a primeira vez que vi, pelo menos que eu me tenha apercebido.

Estava um tempo mto chuvoso, nessa fase.

M. Resende said...



Ok, eu vou tentar tirar uma fotografia, mas para isso vou ter que as encontrar primeiro, o que não sei se vai ser fácil...

De todas as formas, hoje aqui choveu e espero mais chuva para os próximos dias. Pode ser que isso facilite.

lightalive said...



Obrigado, M. Resende!


Geog M. said...

Boas

Parabéns pelos achados. Isso mostra, o quanto ainda está por descobrir.


Nas minhas férias de verão, às vezes via pirilampos. Tinham uma luz verde parada, mas intensa (e já cheguei a ver bastantes).

lightalive said...



Obrigado pelo relato, Geog M.

Se me quiser dar uma ideia mais detalhada do que via (em termos de região e meses do ano, por exemplo), já era uma grande ajuda.

Geog M. said...



Ok, claro, eu vou já enviar-lhe um email. É este (livinglightfestival@gmail.com) não é?

lightalive said...


Obrigado, Geog M. Sim, é esse mesmo.

M. Resende said...


Procurei por sinais luminosos (uma vez ou outra) mas não encontrei nada desta vez...

A ver se tenho mais sorte lá para a frente.

lightalive said...



Sim, nunca perca a esperança. Elas também gostam de tempo fresco.

E por vezes é quando menos se espera que elas aparecem.