Wednesday, April 28, 2010

Lula Vampiro



Veja aqui um documentário da BBC


É uma espécie, que em Portugal, é conhecida nos Açores. Poderá contudo ter uma distribuição mais alargada no nosso país.
Usa um «fio de pesca» (para detetar presas ou predadores), tem captadores especiais de oxigénio (porque nesta zona profunda é um bem escasso), brilha (tem várias luzes nos tentáculos e duas luzes principais no manto que por vezes diminue de intensidade para dar ideia ao predador ou presa, que se está a afastar), ejeta partículas luminosas quando é rapidamente abordada por um possível predador e até muda de forma!

Thursday, April 22, 2010

Mais vaga lumes aparecem!


Já têm aparecido mais e desta feita, com mais espécies!
Entre elas, a Lamprohiza paulinoi.
É uma espécie que possue numerosas luzes e é aparentemente mais rara que a Luciola lusitanica.
Paulino de Oliveira (a quem esta Lamprohiza deve o nome da espécie) perto de Coimbra, já há quase 100 anos, encontrou este pirilampo em grandes numeros (devia ser um grande espetáculo, tendo em conta as caraterísticas dos machos (capazes de voar com a luz sempre acesa) e as fêmeas com as suas numerosas luzes e «farol» principal).
Algo longe do que hoje temos testemunhado, em que não só normalmente se encontram poucas, mas como também vão desaparecendo em locais onde ainda há pouco tempo, era reportada sua presença.
Contudo acredito que ainda hajam anos de maior abundância desta espécie, sobretudo em certas zonas menos perturbadas.