Sunday, January 20, 2008

Fotos inéditas


Este blog apresenta, as primeiras fotos de sempre do comportamento luminoso de larvas de Luciola lusitanica, e do aspecto físico das larvas desta espécie.
As primeiras fotos de sempre de fêmeas e machos de Lamprohiza paulinoi (a primeira descrição sobre a bioluminescênca em machos, fêmeas e larvas de Lamprohiza paulinoi foi apresentada no International Firefly Congress, realizado em Julho de 2007, em Gaia) e do comportamento luminoso das larvas de Lamprohiza mulsanti.

Assim como mostrou ao mundo, as primeiras imagens de uma espécie nova para ciência encontrada em Portugal, em 2006. Este «novo» vagalume é do género Lampyris.







Tuesday, January 15, 2008

Projeto bioluminescência de Portugal: Pioneirismo e inovação.



Este projeto é considerado pioneiro, porque foi o primeiro a começar a estudar de forma exclusiva as espécies de vaga lumes e pirilampos, mas também diferentes fenómenos de bioluminescência em Portugal . O primeiro que se preocupou em inserir esta caraterística no campo da ecologia e do estudo comportamental. O primeiro, que em colaboração com particulares e serviços camarários, iniciou ações de sensibilização e conservação.
Apresentei, por isso mesmo, no Firefly Meeting Congress (21-25 de Junho de 2007) um trabalho, que foi o primeiro de sempre feito na área, pois albergou espécies nunca antes estudadas (nos respectivos capítulos abordados): «An introduction study on ecology, behaviour and habitat use of some Portuguese Lampyridae: Nyctophila reichii, Lamprohiza paulinoi  and Luciola lusitanica.»
Desde os anos noventa, são registadas observações (inclusive com um relato completo da evolução de uma população de Lamprohiza paulinoi, antes e após o uso de pesticidas). O ano de 2008 avizinha-se prometedor, com mais voluntariado, com pedidos de revistas científicas para a publicação de artigos, com participações na rádio, etc...
O nosso projeto de investigação de bioluminescência de Portugal, com raízes no final dos anos 90, humildemente e dedicadamente é pioneiro e o único até agora, a estudar diferentes fenómenos luminosos (produzidos por seres vivos), em Portugal.
Acreditamos também que a sua existência é benéfica para todos e que ajuda a preservar a Natureza.



Reportagem com a sua colaboração



Tenho recebido algumas informações de avistamentos de vaga lumes e outros seres luminosos (mesmo até marinhos).

Relanço aqui o assunto. Quem viu algum, por favor, envie-me um mail, pm ou até um «comment».

Tente enviar uma resposta que responda às seguintes questões:


1- Local e hora do avistamento. ( o mais pormenorizado que poder indicar, melhor).


2- Condições atmosféricas ( se estava a chover, húmido, seco, calor ou outros...)


3- Condições de luminosidade do local ( tinha iluminação artificial perto, longe ou nenhuma, se sim de que côr era a luz).


4-Que tipo de luz emitia o pirilampo? Côr? Piscava ou mantinha-se sempe acesa? Pulsares?


5- Em que habitat estava o pirilampo? Floresta, campo, berma de caminho, etc... Diga-nos também se souber em que plantas o animal estava poisado ou a sobrevoar.


6- Por fim diga-nos o que é que o vaga lume estava a fazer? A comer, a acasalar, a descansar, a andar, a voar, etc...



As suas informações são muito importantes, pois muito pouco se sabe sobre estes animais misteriosos.
Em muitos locais se assiste a diminuição notória dos seus números e assim se vai perdendo um dos maiores espetáculos da natureza.